DICAS DO BEM

CONHEÇA JANELLY, A MENINA QUE NASCEU SEM OSSOS.

OUTUBRO/2.015

Algo deu errado no último trimestre da gravidez de Janet Amador, quando sua filha Janelly tinha cerca de 25 semanas. Uma das etapas fundamentais do desenvolvimento do bebê neste momento da gravidez é o endurecimento das cartilagens, que dão lugar à formação do esqueleto.

Tudo começa pela pélvis. Depois, formam-se cerca de 200 ossos, que dão forma ao corpo, permitem o movimento e protegem órgãos vitais. Mas os ossos de Janelly nunca chegaram a se desenvolver. Passaram-se vários meses de seu nascimento, nos Estados Unidos, até que os médicos percebessem que algo estava errado.

 

“Não crescia, não ganhava peso”

"Desde que ela nasceu, senti que (ela) não era normal", disse Janet ao programa da BBC Countdown to Life, apresentado pelo médico Michael Mosley. "Comecei a notar a partir das três ou quatro semanas de seu nascimento", lembra a mãe. "Ela não crescia, não ganhava peso."

Janelly nasceu sem ossos. Inicialmente, os médicos pensaram que ela não passaria do primeiro aniversário. A menina estava paralisada na cama, sem se mover e conectada a máquinas. Os pais contam que, uma vez, os médicos disseram que ela tinha poucas horas de vida. Eles chegaram a pedir que um estúdio de fotografia tirasse suas últimas fotos.

 

Gene defeituoso

A enfermidade de Janelly é uma variedade grave de hipofosfatasia, transtorno genético hereditário que, segundos estimativas, afeta um em cada 100 mil bebês nascidos vivos. Sua severidade varia, mas muitos casos são letais. O processo de endurecimento dos ossos é muito preciso. Se ele é interrompido, diz Mosley, o corpo ficará mole, não terá apoio nem forma. Nossos ossos são formados por células especiais chamadas osteoblastos. Essas células vão substituindo a cartilagem com um mineral duro com base de cálcio. Mas esse processo gera um produto químico prejudicial que impede que nossos ossos endureçam. Por isso, o próprio corpo desenvolve uma resposta: a ativação de um gene que produz uma proteína chamada FANET (fosfatasa alcalina não específica de tecido, ou TNSALP, na sigla em inglês), que neutraliza o químico prejudicial. Mas, no caso de Janelly, esse gene é defeituoso, o que fez com que sua cartilagem flexível não se convertesse em osso duro. "Ela esteve perto da morte muitas vezes", lembra sua mãe. "Nos disseram que o melhor seria desconectá-la nesse momento", disse à BBC o pai, Salvador Martinez.

 

Nove anos depois

Há sete anos, a médica Jill Simmons cuida de Janelly. "Havíamos ouvido falar de um medicamento mas estava em uma fase muito inicial de testes", disse a médica a BBC. "Naquele momento, não se sabia quase nada sobre o remédio, mas naquele momento também não havia nenhuma outra alternativa para a vida de Janelly."

O desenvolvimento normal dos ossos não ocorre apenas dentro do útero da mãe, mas é um processo que dura até a adolescência. Os médicos esperavam que o novo medicamento estimulasse o corpo de Janelly a desencadear a formação dos ossos.

Depois de uma agonizante espera de seis meses, uma radiografia revelou que o medicamento havia cumprido a função da proteína que o corpo de Janelly não podia produzir naturalmente. A menina havia começado a desenvolver ossos.

"A radiografia é uma das coisas mais milagrosas que já vi como médica. Vimos como os ossos cresciam onde antes não havia nada, e foi uma experiência incrível", disse Simmons à BBC. "E o médico entra e nos diz: tenho uma grande notícia para dar a vocês", lembra a mãe, sorrindo. "Janelly está começando a ter ossos. Dissemos: 'Meu Deus, bendito seja", relembra, unindo as mãos. Dois anos depois, os pais já podiam sentir os ossos dos dedos de Janelly, que antes eram completamente moles.

Agora, Janelly tem 9 anos. Se locomove em uma cadeira de rodas e sua altura não corresponde a sua idade, mas seus ossos não pararam de crescer. Ela continua recebendo o tratamento e os médicos acreditam que ela continuará melhorando e terá uma vida longa e feliz.

ALÉM DO CÂNCER, VEJA MAIS 8 PROBLEMAS DAS MAMAS

ABRIL/2.015 | Patricia Zwipp

Você sabia que as mamas podem apresentar diversos problemas além do tão comentado câncer? Dores, cistos, leite empedrado, e fluxo papilar, são alguns deles. Tire suas dúvidas com as explicações da ginecologista, obstetra e mastologista Milca Cezar Chade, da Clínica Chade; da ginecologista Fernanda Araújo Pepicelli, do Hospital Bandeirantes; e da dermatologista Suzy Rabello, do Hospital Bandeirantes:


1- CISTOS
Displasia mamária é o conjunto de alterações benignas da mama, que incluem os cistos e nódulos (explicação no tópico abaixo), como informou a ginecologista Fernanda. A causa dos cistos é multifatorial e não totalmente esclarecida. Geralmente não são cânceres e não se desenvolvem em cânceres,  por isso não há necessidade de cirurgia e, na maioria das vezes, não necessitam nem de biópsias. A paciente não apresenta sintomas e os cistos são identificados por meio dos toques durante uma consulta e por ultrassonografia ou mamografia. “Quando dolorosos e de grande volume, pode-se optar pelo esvaziamento ou mesmo retirada, já que o cisto é uma ‘bolha de água’”, completou Fernanda.


2 - NÓDULOS SÓLIDOS BENIGNOS
Junto com os cistos mamários, os nódulos mamários benignos representam mais do que 80% das massas que as mulheres conseguem apalpar nas mamas. Têm várias características de composição, mas os mais comuns são os fibroadenomas (explicação no tópico abaixo). “Em relação ao tratamento, cabe ao ginecologista tranquilizar a paciente, muitas vezes não sendo necessário fazer nenhuma biópsia ou cirurgia. Para isso, a rotina anual com o ginecologista é fundamental, assim como a mamografia após os 40 anos”, disse a ginecologista Fernanda.

3 – FIBROADENOMA
Mulheres de 15 a 25 anos costumam apresentar fibroadenoma, que é uma lesão benigna, medindo entre 2 a 3 cm com formato nodular, segundo a ginecologista Milca. Tem aspecto sólido (duro), móvel, e liso. É indolor e o diagnóstico pode ser feito pelo toque do especialista ou por exames de ultrassom e mamografia. “Deve ser feita uma punção para confirmar a benignidade e deverá ser retirado conforme a necessidade”, explicou a médica.


4 - DOR (MASTALGIA)
Cerca de 60% a 70% das mulheres apresentam mastalgia, de acordo com a ginecologista Milca. “A principal característica são as alterações funcionais benignas das mamas. Durante o período pré-menstrual, esse sintoma tende a piorar”, disse a médica. Inflamações, traumas físicos, distúrbios emocionais, e nevralgias, também podem causar a dor mamária e os tratamentos são específicos. Alimentos com cafeína, chá, café, e chocolate, devem ser evitados, pois podem piorar a situação. Para evitar o balanço das mamas, que acentua a dor, recomenda-se o uso de um sutiã adequado. “O inchaço das mamas acompanhado de dor pode melhorar com analgésico e vitamina E. Algumas pacientes apresentam melhora com a introdução de anticoncepcionais”, completou a ginecologista Fernanda.


5 - LEITE EMPEDRADO
É a permanência do leite em um dos ductos da mama por tempo prolongado e isso ocorre por obstrução de um dos ductos ou por esvaziamento incompleto pelo bebê durante a mamada. O tratamento é massagear de forma delicada, em cima das regiões endurecidas e em direção ao mamilo. “Deve-se fazer compressas frias”, ensinou a ginecologista Milca. “É importante ressaltar que, neste momento, usar as bombas manuais e principalmente elétricas pioram o quadro, pois estimulam mais a produção do leite, sendo que a mama acaba por encher mais e antes do tempo, muitas vezes piorando o quadro”, alertou Fernanda.


6 - INFECÇÃO NA MAMA
Geralmente ocorre em mulheres que estão em fase de amamentação. Pode-se formar uma massa/nódulo palpável na mama pela própria paciente, acompanhada por dor local, vermelhidão, e aumento do calor na região. Muitas vezes a paciente tem febre. O tratamento é com antibiótico e, na maioria das vezes, não necessita de outro cuidado ou de acompanhamento. “Pode ocorrer em mulheres que não estão amamentando, mas é mais raro e, quando isso ocorre, é principalmente nas mulheres que fumam”, comentou a ginecologista Fernanda.


7 - FLUXO PAPILAR
É a saída de líquido pelo mamilo, sem relação com a gravidez ou amamentação. Na maioria das vezes, é benigno. “Isso quer dizer que, em mais de 90% dos casos, não há nenhuma relação com o câncer de mama”, comentou a ginecologista Fernanda. Pode estar relacionado com terapia hormonal da menopausa; anticoncepcional oral; hormônios tireoidianos; medicamentos para a ansiedade e depressão; remédios para náuseas, vômitos, e alguns para a pressão alta; drogas ilícitas como a cocaína e a heroína; algumas alterações funcionais da mama ou mesmo uma alteração na hipófise (glândula localizada junto ao cérebro) que pode aumentar a quantidade de um hormônio chamado prolactina, o mesmo que ajuda durante o processo de “fabricação” do leite pela mamãe na amamentação. Geralmente, essa saída de líquido ocorre dos dois lados. “Em uma pequena minoria das vezes, os fluxos podem estar relacionados com as doenças das mamas. Esses fluxos são caracterizados principalmente pela espontaneidade da saída, só de um lado e com o aspecto de ‘água de rocha’ ou sanguinolento”, disse Fernanda. “Mesmo assim, não necessariamente é um câncer, mas esses sinais são um alerta e a busca por um profissional sempre é importante”, completou.


8 - PINTAS
Pode-se ter tanto lesões que podem significar um tumor originado da própria mama, quanto lesões que podem ocorrer de modo similar a qualquer ponto da pele”, disse a dermatologista Suzy. Os tumores próprios da pele podem ser representados por pintas marrons, inclusive nos seios. As características que indicam que a lesão pode ser de risco são assimetria (a pinta deixa de ser arredondada), irregularidade das bordas (os contornos da lesão são imprecisos ou muito irregulares), presença de mais de uma coloração (mais de um tom de marrom ou mesmo colorações enegrecidas associadas), tamanho maior que 6 milímetros e alteração da evolução (aceleração do crescimento ou surgimento de sintomas, como coceira, dor ou sangramento). Não hesite em procurar um médico caso note algo diferente.

10 DICAS PARA UMA VIDA MAIS SAUDÁVEL

MARÇO/2.015 | Dr. Mário Sérgio Rossi Vieira, fisiatra. Dr. Bento Fortunato, nefrologista. Érika Teixeira, nutricionista.

  • 1 - Evite refrigerantes e atenção aos sucos prontos. O consumo de refrigerantes normais está relacionado a diabetes e obesidade, enquanto o de não adoçados (como light, diet e zero) causa piora do funcionamento dos rins. Já a frutose proveniente das frutas e que adoça os sucos prontos, quando consumida em excesso pode provocar aumento da pressão arterial.

  • 2 - Distribua melhor as refeições ao longo do dia. Tente se alimentar a cada três horas para evitar redução do metabolismo e sobrecarga em determinadas refeições (principalmente à noite). Além disso, evite que o corpo entre na chamada "reserva de energia", que é quando o organismo entende que, pelo jejum prolongado, precisa armazenar calorias, dificultando a perda de peso.

  • 3 - Aumente o consumo de líquido ao longo do dia, preferencialmente água. A ingestão contínua de líquidos mantém o metabolismo em constante movimento, assim como a atividade das células corporais e o funcionamento do intestino. Não espere a sede. Se ela chegar, é sinal de que o corpo já está desidratado.

  • 4 - Prefira alimentos integrais em substituição aos carboidratos refinados. Os integrais levam mais tempo para serem digeridos, promovendo maior tempo de saciedade e melhor funcionamento do intestino.

  • 5 - Não consuma alimentos muito calóricos no jantar, isso pode prejudicar o sono. Além disso, como o metabolismo fica mais lento à noite, o gasto de calorias nesse período será menor, podendo gerar ganho de peso.

  • 6 - Pratique atividades físicas, elas são fundamentais para promover condicionamento, aumentar a longevidade e diminuir o estresse. Para quem tem mais de 35 anos, exercícios físicos ajudam a manter a massa muscular. A prática é importante porque parte do metabolismo depende da massa muscular.

  • 7 - Só consuma medicamentos sob orientação médica. Sem o acompanhamento profissional, as pessoas tendem a tomar medicação em excesso ou a deixar de tomar medicamentos que realmente precisam.

  • 8 - Durma bem. Para um sono mais tranquilo, evite: refeições pesadas à noite, cafeína depois das 17 horas e exercícios físicos extenuantes no período noturno.

  • 9 - Tenha um hobbie ou faça atividades de que goste bastante, saindo da rotina. É uma ótima maneira de escapar do círculo de pensamentos preocupantes e de manter a motivação.

  • 10 - Procure informação e ajuda para parar de fumar ou de consumir álcool em excesso. O cigarro é fator de risco para inúmeras doenças e sobrecarrega muito o aparelho pulmonar e o sistema circulatório. Já o álcool, além de trazer problemas comportamentais, é bastante nocivo ao fígado e ao pâncreas, que são fundamentais para o nosso metabolismo.

MEDICINA E ESPIRITUALIDADE

MARÇO/2.015 | DR. MARIO BEAUREGARD

A 10ª edição do MEDNESP – Congresso Nacional Médico-Espírita do Brasil – reunirá membros de 60 Associações Médico-Espíritas do Brasil (AMEs) e Internacionais, profissionais da Saúde e o público geral, para discutir as mais recentes pesquisas sobre Ciência e Espiritualidade com o tema “Os desafios do paradigma médico-espírita no ensino, na pesquisa e na prática clínica”. O evento, organizado pela AME-Brasil e AME-Goiânia, acontecerá de 3 a 6 de junho, no Centro de Convenções de Goiânia-GO.

 

Nesta edição serão discutidos os assuntos de saúde não somente com o grande público, mas também entre médicos e profissionais de saúde, com o objetivo de abordar assuntos científicos mais profundos a fim de trabalharmos no desenvolvimento e na implantação do paradigma médico-espírita. Para tal, um dos palestrantes convidados é o Dr. Mario Beauregard, PhD, neurocientista atualmente filiado ao Departamento de Psicologia da Universidade do Arizona, nos Estados Unidos. Ele é o autor de mais de 100 publicações em neurociência, psicologia e psiquiatria. Por causa de sua investigação sobre a neurociência da consciência, foi selecionado pelo World Media Net entre os “Cem pioneiros do século 21”.

 

Ele contribui ativamente para a criação de um novo paradigma pós- materialista na ciência. Muitos cientistas ignoram evidências concretas que desafiam o preconceito materialista, agarrando-se à visão limitada de que as nossas experiências são explicáveis apenas por causas materiais, com a convicção obstinada que o mundo físico é a única realidade. Mas o materialismo científico está em uma encruzilhada para explicar ações irrefutáveis da mente sobre a matéria, da intuição, força de vontade, saltos de fé, do “efeito placebo” em medicina, de experiências de quase-morte na mesa de operação, e de premonições psíquicas de um ente querido em crise, e isso para não falarmos do sentimento ocasional de unidade com a natureza e as experiências místicas de meditação ou oração.

 

A ciência tradicional explica essas e outras ocorrências como delírios ou mal-entendidos, mas, explorando as últimas pesquisas neurológicas sobre fenômenos como esses, o cérebro espiritual chega à sua fonte real. Intuição, fé, premonições, seriam essas experiências apenas produtos do cérebro?

 

Para Mario Beauregard as experiências espirituais estão muito além das explicações materialistas. Em “O cérebro espiritual” o autor refuta as respostas da ciência tradicional que considera essas ocorrências meros delírios. Além de defender a existência de um estado de consciência mística, no qual seria possível vivenciar aspectos da realidade não acessíveis em outros estados, Beauregard explica como nossos neurônios atuam durante esse tipo de experiência. Por meio de uma pesquisa com freiras carmelitas, ele apresenta evidências que contestam o pensamento convencional e convida o leitor a se perguntar se foi Deus que criou o cérebro ou se foi o cérebro que criou Deus.

 

CONSELHOS ÚTEIS DE DUAS UNIVERSIDADES DE MEDICINA!!!

NOVEMBRO/2.014

Extraído de oglobo.com, de 15 Jan 15

 

Os centenários brasileiros têm pouca expressão nas estatísticas, inclusive por conta da dificuldade de registros da época. Mas o grupo triplicou em apenas uma década e mostra que é possível ultrapassar barreiras com bem-estar. Segundo os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), do IBGE, eram 32.134, em 2013, contra 9.140 em 2002, 7.325, em 1992, e 3.906, em 1.982. Os que chegam melhor ao centenário, segundo pesquisadores, são os de classes mais altas, com maior acesso aos serviços de educação e saúde.  O Rio tem a maior concentração: 250 indivíduos.

 

Na Alemanha, o governo garante um nível de bem-estar aos habitantes. Se fosse num país mais pobre, poderia ter um resultado diferente. Mas a condição financeira é importante até certo ponto, depois não tem peso sobre a longevidade. Já na casa de Aurora Gonçalves, 100 anos, com plano de saúde, e também de Copacabana, o bairro “mais longevo” do Brasil, diz: "não me preocupo com o que não vale a pena, deixo para lá"

 

FÓRMULAS DA LONGEVIDADE NO MUNDO

O que mais importa para a longevidade? A genética contribui 25%. O resto provavelmente fica por conta do estilo de vida e do ambiente. Um dos principais estudos é da Sardenha, onde há 24 centenários por 100 mil habitantes (a média dos países desenvolvidos é de 19 a 20 por 100 mil), e a conclusão recai sobre a cozinha mediterrânea. Mas o Japão é o mais longevo (42,6 por cada 100 mil), onde as conclusões apontam para alimentação saudável, educação e políticas públicas.

CONSELHOS ÚTEIS DE DUAS UNIVERSIDADES DE MEDICINA!!!

NOVEMBRO/2.014

As universidades Harvard e Cambridge publicaram recentemente um compêndio com 21 Conselhos saudáveis para melhorar a qualidade de vida de forma prática e habitual:

 

01 - Um copo de suco de laranja diariamente, para aumentar o Ferro e repor a Vitamina C.

02 - Salpicar canela no café para manter baixo o colesterol e estáveis os níveis de açúcar no sangue.

03 - Trocar o pãozinho tradicional pelo pão integral. O pão integral tem 04 vezes mais fibra, 03 vezes mais zinco e quase 02 vezes mais ferro que o pão branco.

04 - Mastigar os vegetais por mais tempo. Isto aumenta a quantidade de químicos anticancerígenos liberados no corpo. Mastigar libera sinigrina. E quanto menos se cozinham os vegetais, melhor efeito preventivo tem.

05 - Adotar a regra dos 80%: Servir-se menos 20% da comida que costuma comer, evita transtornos gastrointestinais, prolonga a vida e reduz o risco de diabetes e ataques do coração.

06 - LARANJA - O futuro está na laranja, que reduz em 30% o risco de câncer de pulmão.

07 - Fazer refeições coloridas tipo o arco-íris. Comer, DIARIAMENTE, uma variedade de vermelho, laranja, amarelo, verde, roxo e branco em frutas e vegetais, cria uma melhor mistura de antioxidantes, vitaminas e minerais.

08- Comer pizza, macarronada ou qualquer outra coisa com molho de tomate. Mas escolha as pizzas de massa fininha. O Licopeno, um antioxidante dos tomates pode inibir e ainda reverter o crescimento dos tumores e é mais bem absorvido pelo corpo quando os tomates estão em molhos para massas ou para pizza.

9 - Limpar sua escova de dente e trocá-la regularmente. As escovas podem espalhar vírus, bactérias e outros germes. Assim, é recomendado lavá-las com água quente pelo menos quatro vezes na semana (aproveite o banho no chuveiro), sobretudo após doenças, quando devem ser mantidas separadas de outras escovas.

10 - Realizar atividades que estimulem a mente e fortaleçam sua memória. Faça alguns testes ou quebra-cabeças, palavras-cruzadas, aprenda um idioma, alguma habilidade nova... Leia um livro e memorize parágrafos; escreva, estude, aprenda. Sua mente agradece e seus amigos também, pois é interessante conversar com alguém que tem assunto.

11 - Usar fio dental e não mastigar chicletes. Acreditem ou não, uma pesquisa deu como resultado que as pessoas que mastigam chicletes têm mais possibilidade de sofrer de arteriosclerose, pois tem os vasos sanguíneos mais estreitos, o que pode preceder a um ataque do coração.

Usar fio dental pode acrescentar seis anos a sua idade biológica porque remove as bactérias que atacam os dentes e o corpo.

12 - Rir. Uma boa gargalhada é um pequeno exercício físico: 100 a 200 gargalhadas equivalem a 10 minutos de corrida. Baixa o estresse e acordam células naturais de defesa, os anticorpos.

13 - Não descascar com antecipação. Os vegetais ou frutas, sempre frescos, devem ser cortados e descascados na hora em que forem consumidos. Isso aumenta os níveis de nutrientes contra o câncer. Sucos de frutas têm que ser tomados assim que são preparados.

14 - Ligar para seus parentes/pais de vez em quando. Um estudo da Faculdade de Medicina de Harvard concluiu que 91% das pessoas que não mantém um laço afetivo com seus entes queridos, particularmente com a mãe, desenvolvem alta pressão, alcoolismo ou doenças cardíacas em idade temporã.

15 - Desfrutar de uma xícara de chá. O chá comum contém menos níveis de antioxidantes que o chá verde e beber só uma xícara diária desta infusão diminuem o risco de doenças coronárias. Cientistas israelenses também concluíram que beber chá aumenta a sobrevida depois de ataques ao coração.

16 - Ter um animal de estimação. As pessoas que não têm animais domésticos sofrem mais de estresse e visitam o médico regularmente, dizem os cientistas. As mascotes fazem você sentir-se otimista, relaxado e isso baixa a pressão do sangue. Os cães são os melhores, mas até um peixinho dourado pode causar um bom resultado.

17- Colocar tomate ou verduras frescas no sanduíche. Uma porção de tomate por dia baixa o risco de doença coronária em 30% e outras vantagens são conseguidas através de verduras frescas.

18 - Reorganizar a geladeira. As verduras em qualquer lugar de sua geladeira perdem substâncias nutritivas, porque a luz artificial do equipamento destrói os flavonoides que combatem o câncer que todo vegetal tem. Por isso, é melhor usar á área reservada a elas, aquela caixa bem embaixo ou guardar em uma vasilha escura e bem fechada.

19 - Comer como um passarinho. A semente de girassol e as sementes de sésamo nas saladas e cereais são nutrientes e antioxidantes, e comer nozes entre as refeições reduz o risco de diabetes.

20 - Uma banana por dia quase dispensa o médico. A banana previne a anemia, a tensão arterial alta, melhora a capacidade mental, cura ressacas, alivia azia, acalma o sistema nervoso, alivia TPM, reduz o risco de infarto e tantas outras coisas.

21- E por último, um mix de pequenas dicas para alongar a vida:

- Comer chocolate: Duas barras por semana estendem um ano a vida. O amargo é fonte de ferro, magnésio e potássio.

- Pensar positivamente: Pessoas otimistas podem viver até 12 anos mais que os pessimistas que, além disso, os pessimistas pegam gripes e resfriados mais facilmente e são menos queridos e mais amargos.

- Ser sociável: Pessoas com fortes laços sociais ou redes de amigos têm vidas mais saudáveis que as pessoas solitárias ou que só têm contato com a família.

- Conhecer a si mesmo: Os verdadeiros crentes e aqueles que priorizam o 'ser' sobre o 'ter' têm 35% de probabilidade de viver mais tempo e de ter boa qualidade de vida...

Como se vê, não parece tão sacrificante, certo?...

Além disso, uma vez incorporados, os conselhos facilmente tornam-se hábitos!

1/1

Please reload